Pages

LICENÇA

I- É terminantemente proibida a cópia total ou parcial das postagens neste blog.
II- Você pode citar trechos das postagens publicadas aqui desde que inclua um link de referencia ao blog "Enfermagem Continuada", dando os créditos de autoria a mim Enfª Ana Carolina Palmieri.
III- Lei 9610 - artigo 184 do Código Penal brasileiro.

Autora: Drª Ana Carolina de Morais Rêgo Palmieri - Enfermeira Especialista.

É a técnica utilizada para favorecer a cicatrização de feridas, promovendo um meio terapêutico ideal para cada tipo e fase e, eliminando os fatores que possam estar retardando sua cura.


Finalidades:
  • Retirar corpos estranhos.
  • Reaproximar bordas separadas.
  • Proteger contra contaminação e infecções.
  • Promover hemostasia.
  • Preencher espaço morto e evitar a formação de sero-hematomas.
  • Favorecer a aplicação de medicação tópica.
  • Desbridar mecanicamente, removendo tecido necrótico.
  • Diminuir o edema.
  • Absorver exsudato.
  • Manter a umidade da superfície da ferida.
  • Fornecer isolamento térmico.
  • Proteger a cicatrização da ferida.
  • Limitar a movimentação dos tecidos em torno da ferida.
  • Dar conforto psicológico ao cliente.
  • Diminuir a intensidade da dor.
Tipos de Curativos:
  • Semi-oclusivo: curativo absorvente, comumente utilizado em feridas cirúrgicas. Possui diversas vantagens: permite a exposição da ferida ao ar, absorve exsudato e o isola da pele saudável adjacente.
  • Oclusivo: não permite a passagem de ar ou fluidos, funcionando como uma barreira contra bactérias. Tem como vantagens: vedar a ferida; impedir a perda de fluidos; promover o isolamento térmico e de terminações nervosas e impedir a formação de crostas.
  • Compressivo: utilizado para reduzir o fluxo sanguíneo, ou promover estase, e auxiliar na aproximação das extremidades do ferimento.
  • Sutura com fita adesiva: após a limpeza da ferida, as bordas do tecido seccionado são unidas e a fita adesiva é fixada. Esse tipo de curativo é apropriado para cortes superficiais e de pequena extensão.
  • Curativos abertos: são realizados em ferimentos descobertos e que não têm necessidade de serem ocluídos. Algumas feridas cirúrgicas (após 24 horas), cortes pequenos ou escoriações, queimaduras, etc. são exemplos desse tipo de curativo:
* Seco: fechado com gaze ou compressa seca.
* Úmidos: fechado com gaze ou compressa umedecida, com pomada ou soluções prescritas.
* Drenagens: usado em ferimentos com grande quantidade de exsudato, coloca-se dreno (penrouse ou Kehr), tubos, cateteres ou bolsas de colostomia.

Material:
  • Bandeja.
  • Pacote de curativo estéril (01 pinça Kocher, 01 pinça Kelly, 01 pinça Dente de rato e 01 pinça Anatômica).
  • Frasco de SF 0,9%.
  • Agulha 40x12.
  • Saco plástico para lixo.
  • Pacote de gaze estéril.
  • Fita adesiva.
  • Solução anti-séptica, pomadas, cremes ou curativos especiais.
  • Luvas de procedimento.
  • Máscara.
  • Forro de papel, pano ou impermeável para proteger a cama do cliente.
Descrição da Técnica:
  •  Lavar as mãos.
  • Preparar o material e colocar sobre o carrinho de curativos.
  •  Orientar o cliente e/ou o acompanhante sobre o que será feito.
  • Solicitar ao acompanhante que aguarde fora do quarto e/ou posicione o biombo.
  • Realizar a limpeza da pele adjacente à ferida.
  • Realizar a limpeza da área menos contaminada para a mais contaminada, evitando movimentos de vai-e-vem (nas feridas cirúrgicas , a área mais contaminada é a pele localizada ao redor da ferida, ao passo que nas feridas infectadas, a área mais contaminada é a do interior da ferida).
  • Secar a pele ao redor da ferida sem tocar em seu leito.
  • Adequar o curativo ao tamanho da ferida.
  • Remover secreções, corpos estranhos e tecido necrótico.
  • Lavar a ferida com soro fisiológico em jato ou com solução anti-séptica (em feridas infectadas, quando houver sujidade e no local de inserção dos cateteres centrais).
  • Utilizar cada gaze uma única vez.
  • Proteger a área da lesão com gaze em quantidade suficiente para cobri-la.
  • Fixar o curativo com atadura ou esparadrapo.
  • Colocar a data, a hora e seu nome sobre o curativo, com fita adesiva.
  • Desprezar os materiais descartáveis usados no saco para lixo.
  • Reunir os materiais e guardá-los.
  • Lavar as mãos.
  • Anotar o procedimento em impresso próprio, no prontuário do cliente.
Obs. Para que se faça a escolha de um curativo adequado é essencial uma avaliação criteriosa da ferida. Essa análise deve incluir : condições físicas, idade e medicamentos; localização anatômica da ferida; forma, tamanho, profundidade , bordas, presença de tecido de granulação, presença e quantidade de tecido necrótico e presença de drenagem na ferida.

Fonte - Feridas: fundamentos e atualizações em enfermagem/organizadores, Roberto Carlos Lyra da Silva, Nébia Maria Almeida de Figueiredo, Isabella Barbosa Meireles. - São Caetano do Sul, SP: Yendis Editora, 2007.

POSTAGENS POPULARES

TOTAL DE VISITAS

 
Copyright (c) 2010 ENFERMAGEM CONTINUADA. Design by WPThemes Expert

Themes By Buy My Themes and Direct Line Insurance.